Manaus se destaca entre as cidades brasileiras que mais investem com recursos próprio

A política administrativa, pautada na redução dos gastos de custeio e na ampliação da capacidade de investir, que classificou Manaus como a capital mais ajustada fiscalmente do Brasil, mostrou, agora, como essa matemática pode dar bons resultados à população.
Manaus é a terceira capital do país que mais investe com recursos próprios, ficando atrás apenas de Natal (RN) e São Luís (MA), segundo dados do Boletim de Finanças dos Entes Subnacionais de 2018, publicado na terça-feira, 13/11, pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda. De acordo com o boletim, 89,9% dos investimentos realizados pela capital do Amazonas são com recursos próprios, frente à média nacional que é de 59,3%.
Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, essa capacidade de investimento próprio diminui a dependência de fontes de financiamento provenientes de terceiros, dando maior autonomia e segurança aos projetos e ações desenvolvidos pela Prefeitura de Manaus.
“Mais uma vez Manaus é exemplo de austeridade fiscal, contenção de gastos e boa administração de seus recursos próprios e o índice alcançado mostra, definitivamente, que temos atuação solo na realização de investimentos para melhorar a infraestrutura, os serviços e a qualidade de vida da população”, afirmou o prefeito Arthur Neto.
O estudo do Ministério da Fazenda considera investimentos com recursos próprios a diferença entre o total de gastos do município com investimentos e o total de receitas de transferência de capital e operações de crédito. “Municípios que apresentam alto índice de investimentos com fontes próprias, financiam seus investimentos com menor impacto fiscal, visto que recorrem a operações de crédito de modo mais sustentável”, afirma o estudo.
Conforme o secretário municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno (Semef), Lourival Praia, esse estudo mostra que, apesar de Manaus conseguir captar recursos de operações de créditos e transferências de convênios, quase 90% dos investimentos são de recursos próprios.
“Isso só foi possível porque, desde o primeiro ano da gestão do prefeito Arthur, se declarou guerra contra a despesa de custeio. Trabalhamos a melhoria na qualidade dos gastos, analisando contratos e fazendo controle na despesa de pessoal, graças a essas medidas conseguimos dedicar mais 10% da arrecadação dos recursos do Tesouro em investimentos. E a meta é aumentar esse percentual para 15% ou 20% até o final desta gestão”, detalhou Praia.


O prefeito Arthur Neto cobra, ainda, maior participação do Estado do Amazonas, com investimentos fortes e permanentes na capital, assim como mais participação do Governo Federal nos investimentos em diversos setores. “É o justo. Aqui mora metade da população do Estado e aqui é arrecadado quase que a totalidade dos impostos do Amazonas. Então, Manaus precisa ser olhada com mais carinho e atenção”, defendeu Virgílio. “Por parte do Governo Federal, cabe um olhar estratégico para essa região e para Manaus, onde se encontra o verdadeiro caminho para o desenvolvimento do Brasil”, finalizou.

— — —
Fotos: Mário Oliveira/Semcom (cidade de Manaus)
Arquivo/Semcom (prefeito)